Outubro Rosa

Oii meninas!

Outubro finalmente chegou e ele está cada vez mais rosa.

É muito bom saber que a cada ano que passa o número de consentimento e engajamento ao movimento Outubro Rosa aumenta exponencialmente. Consequentemente isso chama a atenção para o atual contexto do câncer de mama no nosso cenário e a importância do diagnóstico precoce.

Este movimento começou nos Estados Unidos, com a aprovação do Congresso Americano, o mês de outubro se tornou o mês de prevenção do câncer de mama, e foi se tornando cada vez mais popular no mundo todo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, entidades e empresas.

A cada outubro que passa, o mundo se embeleza mais com nuances de tons de rosas de forma elegante e feminina, para conscientizar a todos da importância desta luta. Claro, é importante focar este assunto não só em outubro, já que a doença se faz presente a todo momento e é implacável. No entanto, este mês é representativo para esta causa.

 

Mas Aline, como me prevenir?

É fácil! Em média, cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis:

  • Praticar atividades físicas regularmente;
  • Manter o peso corporal adequado;
  • Manter uma alimentação saudável;
  • Autoexame;
  • Ir ao médico periodicamente.

Autoexame – Como fazer?

Ir ao médico periodicamente é extremamente importante. Mas não se esqueça também de fazer o autoexame. A prevenção e o diagnóstico precoce são suas melhores armas nesta luta.

O autoexame da mama deve ser feito uma vez por mês, todos os meses, 3 a 5 dias após o aparecimento da menstruação ou em uma data fixa nas mulheres que já não têm menstruação.

Para fazer o autoexame da mama é necessário seguir apenas três passos principais:

  1. Observar-se no espelho com os braços caídos;
  2. Levantar os braços e observar as mamas;
  3. Colocar as mãos apoiadas na bacia, fazendo pressão para observar se existe alguma alteração na superfície da mama.

 

Lembre-se: durante a observação é muito importante avaliar o tamanho, forma e cor das mamas, assim como inchaços, saliências ou rugosidades.

É altamente recomendado que todas as mulheres após os 20 anos (com caso de câncer na família) ou mulheres com mais de 40 anos (sem caso de câncer na família) devem fazer o autoexame da mama para prevenir e diagnosticar precocemente a doença.

 

 

 

 

Mamografia de Rastreamento e Mamografia Diagnóstica – Qual a diferença?

A realização da mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) em mulheres de 50 a 69 anos, uma vez a cada dois anos é altamente recomendável, mas também expõe a mulher a alguns riscos.

 

Benefícios:

  • Encontrar o câncer no início e permitir um tratamento menos agressivo para a mulher;
  • Em função do tratamento precoce, a chance de mortalidade pela doença é muito menor.

Riscos:

  • Suspeita de câncer de mama: Isso requer outros exames, sem que se confirme a doença. Esse alarme falso pode gerar ansiedade e estresse;
  • Câncer existente, mas resultado normal (resultado falso negativo): Esse erro acaba gerando falsa segurança à mulher;
  • Ser diagnosticada e submetida a tratamento, com cirurgia (retirada parcial ou total da mama), quimioterapia e/ou radioterapia, de um câncer que não ameaçaria a vida: Isso ocorre por causa do crescimento lento de certos tipos de câncer de mama;
  • Exposição aos Raios X: Raramente causa câncer, mas há um discreto aumento do risco quanto mais frequente for a exposição.

 

Mamografia diagnóstica

A mamografia diagnóstica pode ser solicitada em qualquer idade. Ainda assim, a mamografia diagnóstica geralmente não é solicitada em mulheres jovens, pois nessa idade as mamas são mais densas, e o exame apresenta muitos resultados incorretos.

 

Não se esqueçam, meninas: a prevenção e o diagnóstico precoce são extremamente importantes para a saúde da mulher no combate e prevenção ao câncer de mama.

Todas juntas nessa luta! Vamo que vamo!